quinta-feira, maio 27, 2010

ALMA EM CORRENTES

Alma em chamas,
renascida dos infernos,
desperta e vê ao teu lado,
eis que tua amada jaz em laje fria,

Alma em pedra
lábios sem o rubro sangue
olhos fechados em doce sono,
eis que não há mais dança nem riso.

Alma em desvairio,
perdida sem mais rumo,
escolhe tua afiada adaga,
ceifa tua vida que acabou por fim.

Alma infantil,
que nada sabe do amor,
que fizeste em tua loucura,
que buscaste em tua insanidade?

Agora, alma tola,
eis, tua amada desperta,
vê a adaga cravada em teu peito,
e clama aos céus para que voltem teus olhos!

Alma conspurcada,
eis, que teu sangue se esvai!
Clama para que voltem as areias do tempo,
para que não exista o ato insensato que fizeste!

Alma condenada,
teu algoz não lhe dará paz,
por toda a eternidade, serás um sopro,
uma chama, centelha de esperança e vida,

Alma de Prometeu,
a quem jamais se dará paz,
fadado a amar perpetuamente,
e a cada dia ser espedaçado em fúria e dor.

Nenhum comentário: